RELEASE

EI, ABRA SEUS OLHOS...

 

...e entenda o que quatro caras querem fazer com a mistura de rock alternativo, indie, country e folk:  colocar tudo em um liquidificador de acordes e versos para criar o Folk de Garagem. A princípio, pode parecer uma maluquice ou apenas uma autopromoção barata. Mas essa é a verdadeira essência da BRAVAGUARDA, a primeira e única banda de Folk de Garagem do Mundo! Afinal, se é tão difícil se rotular, por que não criar o seu próprio?

 

O desejo de voltar com um projeto engavetado em 2014 uniu novamente os irmãos Danilo e Guilherme Barreto e o amigo de infância Pablo Melo, e os fez reviver canções autorais com maturidade e vontade necessárias para a banda enfim delinear todas as ideias e objetivos que sempre almejaram. Somando-se a entrada do tecladista Milo Andreo na formação atual, um maior leque de possibilidades se abriu nas composições, que agora fazem parte do primeiro disco da banda intitulado “Abra seus Olhos”.

 

Vindos do interior paulista, e hoje vivendo sob o céu cinza da capital, parece mesmo que as influências urbanas se misturaram à antiga vida de origem. Essa mescla resulta em uma espécie de country rock estradeiro que faz querer nos transportar para a rusticidade e simplicidade do campo onde artistas como The Band, Johnny Cash, Neil Young, The Rolling Stones, entre muitos outros, plantaram as suas sementes. Porém, com aquela pitada de modernidade no vintage que bandas como Wilco, Alabama Shakes, Dawes se arriscam com propriedade a fazer.

 

O play de estreia traz de cara a faixa "Palavra Roubada”, música de trabalho que mostra um bom retrato do que o termo 'Folk de Garagem' quer dizer. Uma lamentação pra lá de enérgica com um lick de guitarra matador, com base na levada tradicional do country rock. Letra simples, porém cheia de sentimentos. Afinal, quem nunca tentou se expressar para a pessoa amada e não encontrou as palavras certas? Até nosso mentor Lennon precisou do poder da música para reconquistar a Yoko. A levada clássica e a ironia de "Me Aplauda" reflete sobre os tempos atuais onde a estética virtual importa muito mais que a realidade, deixando de lado o que realmente importa. E assim o disco discorre, passeando entre o antigo e moderno, entre o folk e o rock, entre o violão e a distorção.

 

Com toda essa explicação você ainda não entendeu o que se parece com Folk de Garagem? Bom, acesse a sua plataforma digital favorita e digite BRAVAGUARDA!

 

Boa audição!

 

© 2019 BRAVAGUARDA www.bravaguarda.com.br